A criação de ambientes com personalidade: uma entrevista com a arquiteta Paula Neder

Por 13 de novembro de 2018Decoração, Sem categoria
Personalidade nos ambientes

O universo da arquitetura e design de interiores é carregado de complexidade. Afinal, não há questões exatas quando o assunto é a personalidade de cada ambiente e identidade de cada projeto. Conseguir absorver as tendências, perceber os movimentos e novas correntes, sem perder a própria assinatura e, claro sempre sabendo incorporar a identidade do cliente é um dos grandes desafios destes profissionais.

Uma das tendências da atualidade na decoração de interiores está relacionada a valorização da natureza, e nós já trouxemos conteúdos que envolvem a mágica dos jardins, as lembranças e histórias que estes espaços carregam. Mas, pode ser que fiquem algumas dúvidas no ar, ou até mesmo uma complexidade de entendê-las na prática.

Pensando nisso, nós convidamos a arquiteta Paula Neder, mestre em Arquitetura pela UFRJ, com um portfólio de mais 800 projetos no Brasil e no exterior para falar mais sobre “O espaço lá de fora e suas lembranças”.

 

Fonte: Casa Vogue

 

T: Em primeiro lugar, como encara o papel do arquiteto na hora de entender a personalidade de cada projeto? De fato, é preciso conhecer cada pessoa para conseguir resumir a essência de cada um?

PN: Logo que saímos da faculdade percebemos que compreender nossos clientes é um dos itens mais importantes para o bom resultado do projeto. Na verdade vamos desenvolvendo a habilidade de descobrir o que eles realmente querem, pois nem sempre é o que pedem. Gosto de conversar bastante no início do projeto, conversar sobre dia-a-dia, estilo de vida, questões cotidianas da casa ajudam muito.

 

T: A casa pode ser vista como um lugar que guarda diversas lembranças, sejam de viagens, momentos da vida ou mesmo lembranças da infância. Você costuma levar isso em consideração nos projetos?

PN: Com certeza a casa carrega uma afetividade muito grande. É o abrigo, o ninho, o lugar do descanso, do amor e da confiança. É muito importante que o projeto inclua memórias e itens que os clientes são apegados. Projetos muito frios podem parecer showroom.

 

Fonte: Casa Cor

 

T: Ao pensar nos projetos de áreas externas, o que é mais importante para você?

PN: Que a natureza seja valorizada, que cuidemos da segurança e façamos escolhas que geram baixa manutenção. Áreas externas que recebem sol e chuva são muito vulneráveis à ação das intempéries. Além disso, ninguém quer um projeto que em pouco tempo parecem velhos.

 

T:Ainda em projetos de áreas externas, como encara a tendência de valorização da simplicidade, elementos mais naturais e orgânicos e da natureza?

PN: Eu valorizo muito os elementos naturais, sem dúvida,  são os mais bonitos e elegantes. Uma forma de conseguirmos que o projeto permaneça bem ao longo do tempo, é que desde a concepção, assuma que o acabamento vai se alterar com as intempéries.

 

T: Para encerrar a nossa conversa, o que você destacaria como uma possibilidade de inovar nas áreas externas, pensando em interações sociais? Acha válido apostar nas áreas gourmets, mesas, locais que promovam a interação entre as pessoas?

PN: Para áreas externas há muitas opções, dependendo do local, do terreno, do uso, mas além dos espaços tradicionais, gosto da ideia de spas, redários, áreas organizadas para picnics e para crianças casas na árvores, local para acampamentos e aí a imaginação e os clientes podem contribuir para criarmos novos espaços.

 

Casa Cor

 

Abraçar a sua personalidade, deixar espaço para os elementos orgânicos e naturais são mais do que uma tendência, mas uma verdadeira urgência para o bem-estar nos dias de hoje. Como disse a profissional Paula Neder, deixe de lado a ideia de projetos frios e com aspecto de showroom.

A arquiteta ainda está com espaços expostos na CasaCor Rio 2018, o Vista Bar e Bistrô, Lounge e Terraço. De acordo com o site do escritório da arquiteta, “O projeto surgiu com a constatação da vista exuberante do nosso espaço para o Aterro do Flamengo e Baía de Guanabara. Pensamos que o ambiente deveria ser suave para não competir com essa paisagem, mas deveria ter contrapontos a ela, o painel do Coletivo MUDA no lounge e as estantes no Bistrô. O terraço que é quase um camarote para se apreciar a vista.”. Confira algumas fotos:

Como você pode ver, o trabalho do profissional de arquitetura e design de interiores vai além de apenas construir espaços harmônicos. É necessário entender personalidades e conseguir exprimir isso em objetos, revestimentos, na decoração como um todo. Continue acompanhando os conteúdos do nosso blog e não perca nenhuma novidade no nosso Instagram!