Julio Saens

 

FEITINHO PRO TREVISAN

Um conto de Duílio Gomes*
 ilustração de
Julio Saens

Julio Saens

A correntinha brilhando entre os dois pombos.
- Ai, João, que me mata.
Abismo de prazeres. No dentinho de ouro, o fulgor de sirigaita.
- Um beijinho mais.
- Não, que eu morro.
- Malvadinha.
Um azedinho de bala têm seus beijos. Delícias do canto da corruíra.
- O avô tem sono leve, João.
- A gente fica bem quietinho.
- Me morde aqui.
A marca roxa. Beijo de vampiro enlouquecido? Uma baratinha coça as antenas,

no seu canto. A leprosa.
- Ouviu barulho?
- É o vento, Maria.
- O avô acorda, João. Ai, que agonia.
- Não se acanhe. Um beijinho só.
Ingrata. Negaceando. Inventa o avô só para vê-lo sofrer.
- Pensa que não sei do padeiro? Com ele é só abismo de rosas. Comigo, raso de espinhos.
Cigarrinho nos dedos amarelos, finge ir embora. Ela agarra o seu abraço.
- Se fôr, me mato.
- Exibida. Pra mim já morreu, e bem morrida.
- O doutor proibiu. Faz mal.
- Onde o conheceu ?
- É médico da família. Pessoa de respeito.
- Ele vê os seus peitinhos ?
Enrolando a correntinha. Sorri, sem negar, afirmando.
- Ele te vê toda nua?
- Só uma vez. Fui com o avô.
- De consultório fechado?
- Muito respeitador. Tomou pressão.
- É velho? Baixinho? Alto, de bigodinho?
- Pediu para eu ir duas vezes por semana. Sabe como ele me chama? Santinha.
- Pegou no seu pé ?
- Sou moça sofredora, João. Só quando me casar.
A diabinha.
- O avô não vê, Maria. Me contento com dois beijos.
Olhos reluzentes nos dois pombos de alvura brilhosa.
- Cabem na mão, Maria. E tão quentinhos.
Aflito, abre a blusa de seda vermelha. Ela negaceia.
Quer beijar o pezinho. Suspirando de olhos cerrados.
- Deixa, amorzinho.
Ela deixa. Gemendo.
Na porta, duas batidas.
- É o meu noivo ! Ai, que morro. João, pula a janela !...
Espera que ele desapareça na esquina. Então, suspirosa, abrindo a porta

- Boa noite, doutor. Eu estava tão saudosinha...

desenho de Heleno Nunes
Heleno Nunes

*DUÍLIO GOMES já tem diversos contos em
Tanto. Com este "Feitinho pro Trevisan", ele homenageia o contista curitibano Dalton Trevisan, uma lenda da literatura brasileira e para quem ele assinou a "orelha" do livro "Contos Éroticos", da Ed. Record. Dalton Trevisan é um mestre confesso de Duílio Gomes na estória curta, ao lado dos americanos Ray Bradbury e Salinger. Duílio Gomes prepara a edição de um novo livro de contos a sair breve pela editora carioca Relume Dumará.


voltar